Os orixás mais populares do Batuque

Os orixás mais populares do Batuque

Conheça a ficha completa de algumas das 12 divindades do Batuque brasileiro. Divinizados há 5 mil anos, os Orixás representam homens e mulheres com capacidade de alterar o curso da natureza.

 

Atualmente no Batuque são cultuados apenas 12 Orixás principais. Reza a tradição que os deuses dos terreiros têm origem nos clãs africanos, divinizados há mais de 5 mil anos. A história que se conta é que eles foram inspirados em homens e mulheres capazes de intervir nas forças da natureza por meio de caça, plantio, uso de ervas na cura de doenças e fabricação de ferramentas. Os orixás têm características humanas, virtudes e defeitos: podem ser vaidosos, temperamentais, ciumentos, maternais. Os atributos, quase sempre, têm um paralelo com o meio ambiente.

A equivalência entre os orixás e os santos da Igreja Católica surgiu no período colonial, com a chegada ao Brasil dos primeiros africanos de origem iorubá, povo que habitava a região atual de Nigéria, Benin e Togo. Adeptos do Candomblé e do Batuque, que vieram a se formar durante o cativeiro, eles eram proibidos de adorar suas divindades porque a religião oficial do País era o catolicismo. Para driblar a censura, os negros criaram a associação e seguiam assim praticando sua fé. Por isso, o sincretismo pode variar de acordo com a região do Brasil.

Assim como o Batuque e o Candomblé, a Umbanda também tem influencia dos orixás. Mas os umbandistas representam essas divindades com imagens diferentes, além de cultuarem espíritos, entre eles o preto velho, o caboclo e a pomba gira – nenhum deles aparece no pertencentes a religião afro.

Confira, a seguir, os mais conhecidos do Batuque:

Exu/Bará

Mensageiro entre os homens e os deuses, guardião da porta da rua e das encruzilhadas. Só por meio dele é possível invocar os orixás.

Personalidade
Atrevido e agressivo

Elemento
Terra/fogo

Símbolo
Ogó (um bastão adornado com cabaças e búzios); Chaves; esfera

Colar (guia) e roupas
Vermelho

No sincretismo
Santo Antônio/São Pedro

Dia da semana
Segunda

 

Ogum

Deus da guerra, do fogo e da tecnologia. No Brasil é conhecido como deus guerreiro. Sabe trabalhar com metal e, sem sua proteção, o trabalho não pode ser proveitoso.

Personalidade
Explosivo e vingativo

Elemento
Terra/fogo

Símbolo
Espada; trilhos de trem; ferramentas de trabalho; ferro em geral

Colar
Azul-marinho

Roupas
Azul (com verde-escuro, vermelho ou amarelo)

No sincretismo
São Jorge

Dia da semana
Quinta

 

Iansã/Oyá

Deusa dos ventos e das tempestades. É a senhora dos raios e dona da alma dos mortos.

Personalidade
Impulsiva e imprevisível

Elemento
Ar/Fogo

Símbolo
Espada; raio; aliança; rabo de cavalo (sua ferramenta para controlar e afastar espíritos)

Colar
Vermelho e branco ou marrom-escuro

Roupas
Vermelho e branco

No sincretismo
Santa Bárbara/Joana D’Arc

Dia da semana
Terça/Quinta

 

Xangô

Deus do fogo e do trovão. Diz a tradição que foi rei de Oyó, cidade da Nigéria. É viril, violento e justiceiro. Castiga mentirosos e protege advogados e juízes.

Personalidade
Atrevido e prepotente

Elemento
Fogo

Símbolo
Machado duplo (oxé); pilão; livro/caneta

Colar e roupas
Branco e vermelho

No sincretismo
São Jerônimo, São Miguel Arcanjo

Dia da semana
Terça

 

Ossaim

Deus das folhas e ervas medicinais. Conhece seus usos e as palavras mágicas (ofós) que despertam seus poderes.

Personalidade
Instável e emotivo

Elemento
Matas

Símbolo
Lança com pássaros na forma de leque e feixe de folhas

Colar
Verde/ branco e verde / amarelo e verde

Roupas
Verde/ branco e verde-claro/ amarelo e verde

No sincretismo
São Roque

Dia da semana
Segunda ou sexta (depende da família)

 

Xapanã

Deus da peste das doenças da pele. É o médico dos pobres. Senhor do reino dos mortos e dos que la habitam.

Personalidade
Tímido e vingativo

Elemento
Terra

Símbolo
Xaxará (feixe de palha e búzios); porongo

Colar
Lilás/roxo/preto e vermelho

Roupas
Lilás (tudo coberto de palha)

No sincretismo
São Lázaro e São Roque

Dia da semana
Quarta

 

Oxum

Deusa das águas doces (rios, fontes e lagos). É também deusa do ouro, da fecundidade, do jogo de búzios e do amor.

Personalidade
Maternal e tranquila

Elemento
Água

Símbolo
Abebê (leque espelhado)

Colar e roupas
Amarelo e amarelo-ouro

No sincretismo
Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora das Candeias

Dia da semana
Sábado

 

Iemanjá

Considerada a deusa dos mares e oceanos. É a mãe de todos os orixás e representada com seios volumosos, simbolizando a maternidade e a provisão.

Personalidade
Maternal e tranquila

Elemento
Água

Símbolo
Peixe; lua ;estrela ; remo; âncora

Colar
Azul anil

Roupas
Azul anil

No sincretismo
Nossa Senhora, Nossa Senhora dos Navegantes ou Nossa Senhora da Glória

Dia da semana
Sexta

 

Oxalá

Deus da criação. É o orixá que criou os homens. Obstinado e independente, é representado de duas maneiras: jovem e velho.

Personalidade
Equilibrado e tolerante

Elemento
Ar/água

Símbolo
Apaxoró (cajado de alumínio com adornos); caramujo; pombos; olhos

Colar e roupas
Branco

No sincretismo
Jesus Cristo /  Menino Jesus de Praga

Dia da semana
Domingo (Quarta para o novo em algumas famílias)

 

Creative Commons License Attribution-NonCommercial-NoDerivsRepublish
Compartilhe isso

Related posts