O amalá de Xangô

O AMALÁ DE XANGÔ

     O amalá é uma iguaria presente desde os tempos mitológicos na cultura africana e diásporas pelo mundo. Prato predileto do orixá Xangô, o Senhor da justiça e patrono dos monarcas e de todos que tenham papel central em alguma organização, o amalá tem um histórico de conflitos, tal é a estima que Xangô tem pela comida, estando presente em inúmeros itans. Eles contam, entre outras coisas, a briga das esposas de Xangô, Obá e Oxum e o abandono por Aganju de sua missão de carregar Oxalá apenas por sentir o cheiro do prato que estava sendo preparado por Oyá.

O amalá para Xangô é servido em gamela

O amalá é preparada por todas as religiões que cultuem direta ou indiretamente a divindade Xangô, mas possui uma variedade imensa de tipos, diferenciando as carnes, folhas e especiarias usadas, tudo preparado de forma a dar um sabor único ao servir aquele que é tido como o comilão do panteão dos Orixás, quem jamais nega uma boa comida.

Uma curiosidade do amalá no Batuque é que ele só pode ser consumido, pelos iniciados, com as mãos e em pé. É considerado uma afronta aos Orixás comer amalá sentado ou com talheres. Também não se usa beber água após comer, o que não é uma regra universal na religião afro-riograndense.

No Batuque os amalás mais comuns são preparados com:
Carnes – peito bovino, galo, carneiro ou camarão;
Folhas – mostarda (verde), repolho, acelga ou caruru;
Coroa – bananas (catarina, nanica ou da terra), quiabos (muito mais comum no Candomblé) ou carambolas.

Cada uma das combinações de carnes, folhas, coroas e topos tem uma finalidade especifica conforme as combinações. A única unanimidade no amalá é o pirão, que é o acompanhamento único do prato.

A mostarda usada no amalá pode ser encontrada em qualquer supermercado e adiciona um sabor único ao prato

Receita de Amalá do Babá Phil

Food-Bunch-Ingredients-icon

Ingredientes

.

  • 2 litros de água fria
  • 1/2 kg de farinha de mandioca
  • Sal a gosto
  • 2 kg de carne de peito
  • 2 molhos de mostarda
  • 2 cebolas
  • 2 tomates
  • 2 dentes de alho
  • Oregano
  • Sal a gosto
45521

Modo de Preparo

Lave bem a mostarda para retirar qualquer impureza das folhas, rasgue suas folhas com as mãos e de uma leve esfregada para remover levemente seu sulco e reserve as folhas.

  1. Frite as cebolas cortadas e o alho picado, em seguida adicione a carne de peito picada em cubos ou cozida e desfiada. Mantenha os ossos.
  2. Quando a carne estiver bem dourada, acrescente os tomates picados.
  3. Deixe cozinhar por uns 25 minutos e tempere com sal e orégano.
  4. Adicione a mostarda e misture ao molho, deixando cozinhar até que as folhas reduzam seu tamanho pela metade do original.
  5. Reserve 200ml do molho da carne.
  1. Em uma panela adicione a água e o molho, leve ao foco brando e vá adicionando a farinha levemente, mexendo sempre até pegar ponto firme.
  2. Quando estiver quase em cor, quase transparente, ele estará pronto.

Agora é hora de se deliciar!!!

Em um prato sirva algumas colheiradas de pirão e sobre ele o molho. Pronto, agora é só se deliciar e descobrir você também por que Xangô gostava tanto desse prato! 

Coma sem talheres, coma com a mão respeite a tradição
fwsfdfsda
Creative Commons License Attribution-NonCommercial-NoDerivsRepublish
Compartilhe isso

Related posts