AS SAUDAÇÕES DOS ORIXÁS

No batuque é usual louvarmos aos orixás com palavras em yorubá aos quais nem sempre sabermos o que elas significam.

Pois segue abaixo as saudaçoes com seus respectivos significados

Orixá – saldação falada – grafia em yoruba – tradução

 

  • Bará- Alupo! – Làlúpo! – Abre senhor do dende!
  • Ogum – Ogunhe! – Ògún ye!- Salve Ogun!
  • Oya – Eparrei/Epaieio – Epa heyi! – Significado no fim das saudaçoes.
  • Xango – Cao Cabecile! – Kawó kábíyèsí lè! – Domina ao mundo sua alteza!
  • Odé- Okebambo! – Òkì bámbò ke! –  Acompanho sua chegada, gritando!
  • Otim – Não ultilizada no batuque – Otìm bò rò Ode! – Otim vem ajudar Odé!
  • Ossanha – Eu Eu! – Èwé ou! Èwé ou! – OH folhas! OH folhas!
  • Obá – Exó Obá Xire! – E só Oba s’ire! – Você protege e benze Oba!
  •  
  • Xapanã – Ábau! – Ao BA ou! – Inclinamo-nos ante tí!
  • Ibeji -Saudado junto com Xangô e/ou Oxum no batuque – Ìbejì orò! – Espíritos gêmeos!
  • Oxum – IeIeo! – Yèyé wò! – Cuide mamãe!
  • Yemanja – Omio odo! – Omi odò’yá! – Mãe da água do rio!
  • Oxalá – Epao baba! – Èèpàó bàbá! – Pai de linhagem nobre!
Sobre a saudação de oya
Como sabemos a saudação à Oyá é Eparrei (a grafia em iorubá é Èpà Heyi) ou Epaieio (forma mais utilizada na Nação). E esta lenda dá uma versão da razão pela qual saudamos Iansã desta forma.
“Èpà Heyi!”, é uma forma de saudar e acalmar Oyá. Sua origem se reporta ao rei Olúgbìjì, uma boa pessoa, mas que se encontrava em meio a uma rebelião. Consultando Ifá, foi informado que, em sua família, existia o culto a um Orixá que poderia ajudá-lo. Seu nome era Oyá.
Foram-lhe feitas oferendas diversas, procurando sensibilizá-la. Oyá aceitou tudo e se propôs a destruir os inimigos do rei. Mas um grupo de pessoas, sabendo de seu temperamento extremamente violento, pediu-lhe calma e lhe disse: “Se você continuar assim, irá destruir todo mundo.”
Em face disso, foi-lhe sugerido que comprasse um escravo para assessorá-la e lembrasse às pessoas quando elas estivessem correndo perigo de vida, por infringir suas normas de conduta. Indicaram um escravo cujo o nome era Ehín, que em yorubá significa dente. “Este nome é horrível e vou mudá-lo”, disse Oyá.
Depois disso, sempre que ela ficava furiosa, as pessoas passaram a chamar por Heyi, que, a partir daí, tornou-se a sua saudação. Èpà é uma interjeição exclamativa.

Phil D’Agandju Ibedji
Axé a todos
Creative Commons License Attribution-NonCommercial-NoDerivsRepublish
Compartilhe isso

Related posts